antonio-augusto

4 de maio de 2011

Dia das Mães

Por: Dom Antonio Augusto Dias Duarte Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro Como prescreve a clássica tradição dos homens a chegada do segundo domingo de maio traz consigo a figura da mãe, e com essa data vem logo à mente o conhecido ditado popular: “Mãe é uma só”. Comemorar o dia das mães na atualidade é para o comércio uma oportunidade a mais para aumentar suas vendas e ganhos materiais, e favorecido pelas hábeis e eficazes ferramentas publicitárias repete o mesmo sucesso econômico do Natal, da Páscoa, do Dia dos Namorados, do Dia dos Pais, do Dia das Crianças, etc… Ninguém mais duvida que o mundo consumista moderno é capaz de instrumentalizar as pessoas, fazendo-as peças de uma grande máquina de produtividade, até mesmo quando algumas dessas pessoas têm essa singularidade especial: mãe, uma só mãe, única mãe, querida e amada como uma pessoa inesquecível na vida dos filhos. Contudo não é só o mundo consumista que instrumentaliza o ser humano, mas sobretudo o mundo da cultura promovida por grupos e organizações internacionais que consideram a maternidade uma situação de injustiça social para a mulher
10 de outubro de 2013

Sínodo de 2014

Por: Da Redação, com Arquidiocese do RJ Sínodo de 2014 revela cuidado da Igreja com a família. O bispo auxiliar do Rio e referencial da Pastoral Familiar no Regional Leste 1 da CNBB, Dom Antonio Augusto Dias Duarte, acredita que a convocação dos bispos para a III Assembleia Geral Extraordinária do Sínodo dos Bispos, a acontecer em 2014, revela a preocupação da Igreja com a família, que será o tema dos debates. “A família é chamada de Igreja doméstica