Processo de beatificação

Processo de beatificação

Processo de beatificação do padre Júlio Maria começa em janeiro em MG

Redação A12, 07 de Dezembro de 2014 às 07h00. Atualizada em 09 de Dezembro de 2014 às 08h19.

A Diocese de Caratinga dará início em janeiro do próximo ano ao processo de beatificação do padre Júlio Maria de Lombaerde (1878-1944). Nascido na Bélgica, ele passou os últimos 16 anos de sua vida em Minas Gerais, onde se dedicou à criação de escolas, hospitais, asilos e congregações. A autorização para o processo foi dada pelo Vaticano em janeiro do ano passado.
Padre Júio Maria A fase diocesana do processo de beatificação e posterior canonização do missionário terá início em Manhumirim, na Zona da Mata, de onde vem a mobilização para reconhecê-lo como santo. O bispo diocesano de Caratinga, dom Emanuel Messias de Oliveira é o responsável pelos procedimentos.
A abertura do processo será realizada no dia 24, às 20h, na Matriz do Bom Jesus. No dia 25, domingo, será celebrada uma missa de ação de graças também na Igreja Matriz de Manhumirim. Durante o processo, as comissões deverão levantar dados sobre a santidade do candidato, suas ações e pregações. Após esse trabalho, os documentos serão enviados a Roma, dando início à próxima fase. Caso os documentos sejam aprovados, será necessária a comprovação de dois milagres, sendo uma para beatificação e outro para a canonização.
Entre os dias 22 e 24 de janeiro será realizado ainda um simpósio com palestras e oficinas sobre temáticas relacionadas à vida e obra do padre Júlio Maria.
No passado, as congregações fundadas pelo padre, Missionários de Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento (Missionários Sacramentinos), Filhas do Coração Imaculado de Maria (Irmãs Cordimarianas) e Irmãs Sacramentinas de Nossa Senhora, decidiram se mobilizar para o processo de beatificação.
Falecido em 1944, vítima de um acidente de trânsito quando viajava da cidade Alto Jequitibá para Manhumirim, o exemplo do padre cativou vários devotos e atualmente, são vários os relatos de graças e milagres alcançados sob sua intercessão em Caparaó, Manhumirim e Carangola, cidades da região onde o religioso atuava.
Padre Júlio Maria foi escritor, professor, médico e farmacêutico. Fundou escolas e bandas de música para jovens. Em Manhumirim ele construiu o Ginásio Pio XI, o Colégio Santa Teresinha, o Patronato Agrícola Santa Maria, Asilo São Vicente de Paulo e o Hospital São Vicente, hoje chamado Hospital Padre Júlio Maria, conforme os sacramentinos.

Fonte: Arquidiocese de Belo Horizonte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.