“Não à manipulação educativa da infância”

“Não à manipulação educativa da infância”

“Não à manipulação educativa da infância”, afirma o Papa Rádio Vaticana Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco recebeu em audiência esta manhã, no Vaticano, os membros do Escritório Católico Internacional para a Infância (BICE), com sede em Bruxelas (Bélgica). Em seu discurso, o Papa recordou as origens desta associação, que nasceu depois do pronunciamento do Papa Pio XII em defesa da infância feito após a II Guerra Mundial.

“Não à manipulação educativa da infância”, afirma o Papa
Rádio Vaticana
Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco recebeu em audiência esta manhã, no Vaticano, os membros do Escritório Católico Internacional para a Infância (BICE), com sede em Bruxelas (Bélgica).
Em seu discurso, o Papa recordou as origens desta associação, que nasceu depois do pronunciamento do Papa Pio XII em defesa da infância feito após a II Guerra Mundial. Desde então, o BICE sempre se empenhou em promover a tutela dos direitos dos menores, contribuindo inclusive para a Convenção da ONU de 1989, que este ano, portanto, completa 25 anos.
Para Francisco, nos nossos dias é importante levar avante projetos contra o trabalho-escravo, contra o recrutamento de crianças-soldado e todo tipo de violência contra menores.
O Pontífice reiterou o direito das crianças de crescerem em uma família, com um pai e uma mãe capazes de criar um ambiente idôneo ao seu desenvolvimento e ao seu amadurecimento afetivo.
Ao mesmo tempo, notou, isso comporta amparar o direito dos pais à educação moral e religiosa dos próprios filhos. Nesta questão, o Papa foi categórico, afirmando ser contrário a todo tipo de experimentação educativa com os menores: “Com as crianças e os jovens não se pode experimentar. Os horrores da manipulação educativa que vivemos nas grandes ditaduras genocidas do século XX não despareceram; mantêm sua atualidade sob formas diferentes e propostas que, com pretensão de modernidade, levam as crianças e os jovens a caminharem na estrada ditatorial do ‘pensamento único’”.
O Papa ressaltou que trabalhar em prol dos direitos humanos pressupõe manter sempre viva a formação antropológica, estar bem preparado sobre a realidade da pessoa humana e saber responder aos problemas e aos desafios que a cultura contemporânea e a mentalidade difundida através dos meios de comunicação de massa apresentam.
Francisco concluiu seu discurso pedindo uma formação permanente quanto à antropologia infantil, porque é ali que os direitos e os deveres têm o seu fundamento e dela dependem o desenvolvimento de projetos educativos.
O BICE é a uma organização católica internacional comprometida com a defesa da dignidade e dos direitos da infância. Foi fundado em 1948 e atualmente está presente em 4 continentes, com projetos em 25 países, inclusive o Brasil. O BICE tem um estatuto consultivo junto às Nações Unidas.
(BF)

“Não à manipulação educativa da infância”, afirma o Papa
Rádio Vaticana
Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco recebeu em audiência esta manhã, no Vaticano, os membros do Escritório Católico Internacional para a Infância (BICE), com sede em Bruxelas (Bélgica).Em seu discurso, o Papa recordou as origens desta associação, que nasceu depois do pronunciamento do Papa Pio XII em defesa da infância feito após a II Guerra Mundial. Desde então, o BICE sempre se empenhou em promover a tutela dos direitos dos menores, contribuindo inclusive para a Convenção da ONU de 1989, que este ano, portanto, completa 25 anos.Para Francisco, nos nossos dias é importante levar avante projetos contra o trabalho-escravo, contra o recrutamento de crianças-soldado e todo tipo de violência contra menores.O Pontífice reiterou o direito das crianças de crescerem em uma família, com um pai e uma mãe capazes de criar um ambiente idôneo ao seu desenvolvimento e ao seu amadurecimento afetivo.Ao mesmo tempo, notou, isso comporta amparar o direito dos pais à educação moral e religiosa dos próprios filhos. Nesta questão, o Papa foi categórico, afirmando ser contrário a todo tipo de experimentação educativa com os menores: “Com as crianças e os jovens não se pode experimentar. Os horrores da manipulação educativa que vivemos nas grandes ditaduras genocidas do século XX não despareceram; mantêm sua atualidade sob formas diferentes e propostas que, com pretensão de modernidade, levam as crianças e os jovens a caminharem na estrada ditatorial do ‘pensamento único’”.O Papa ressaltou que trabalhar em prol dos direitos humanos pressupõe manter sempre viva a formação antropológica, estar bem preparado sobre a realidade da pessoa humana e saber responder aos problemas e aos desafios que a cultura contemporânea e a mentalidade difundida através dos meios de comunicação de massa apresentam.Francisco concluiu seu discurso pedindo uma formação permanente quanto à antropologia infantil, porque é ali que os direitos e os deveres têm o seu fundamento e dela dependem o desenvolvimento de projetos educativos.O BICE é a uma organização católica internacional comprometida com a defesa da dignidade e dos direitos da infância. Foi fundado em 1948 e atualmente está presente em 4 continentes, com projetos em 25 países, inclusive o Brasil. O BICE tem um estatuto consultivo junto às Nações Unidas.(BF)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.