Hoje vivemos uma linda Aliança com a Comunidade

Hoje vivemos uma linda Aliança com a Comunidade

Testemunho de um missionário.

Enquanto estavam andando, alguém disse a Jesus no caminho: Eu te seguirei onde quer que vás”. Jesus lhe disse: “As raposas têm tocas e os pássaros do céu, ninhos; o Filho do Homem, porém, não tem onde recostar a cabeça. (Lc 9,57-58)

Começo meu testemunho com estas palavras do Santo Evangelho, por serem um lema, ou regra de vida de todo e qualquer missionário. Na época de Jesus, ser missionário haviam grandes dificuldades, como as de locomoção, e hoje podemos nos deslocar a outros lugares sem ao menos sair do nosso quarto; as redes sociais que o digam!
Mas este seguimento despojado de Jesus será que ainda existe em nosso tempo? Ou será ainda necessário? E o principal: encontraríamos jovens, moças e rapazes capazes de se entregarem ao serviço do Evangelho dessa forma, desprendida e entregue às mãos de Deus?

De fato ainda há lugares onde esse anúncio é de difícil acesso, há lugares onde as exigências são maiores, no sentido de missionários mais despojados de si mesmos, de suas comodidades metropolitanas, e diria mais, há uma exigência de missionários que não estejam muito ligados às redes sociais, e por quê? Não porque não precisem, mas por causa das circunstâncias de determinadas localidades que não dão tal acesso.

Parece até que falo em teoria, mas não! Falo porque sei de lugares aqui na Região Amazônica onde a carência de padre é enorme, onde a formação cristã ainda é de baixo acesso. Falo de algumas ilhas dos rios Tapajós, do baixo amazonas ao alto amazonas culminando na sua foz. Ilhas que a realidade espera por homens e mulheres desprendidas, que não queiram lugar nenhum para reclinar a cabeça, que tenham apenas coração aberto para acolher aquilo que lhe pode ser oferecido.

Embora estejamos em uma Capital, ou seja, uma das metrópoles da Amazônia: Belém-PA, no Estado, existem ilhas próximas ou distantes da mesma, onde esta situação é real. Este início de semana (03/02/2013) irei visitar umas ilhas na região chamada baixo Acará-PA, para Celebrar a “festividade de Monserrat”, hoje esta ilha já não esta mais tão carente de missionários quanto já foi, mas lá já houve época onde missa se celebrava raramente; irei para lá porque D. Teodoro (Bispo auxiliar responsável pelas ilhas) não poderá celebrar a mesma festividade, devido suas exigências de Bispo, então solicitou a nós salvistas para que o ajudássemos, ao que Pe. Francisco de Assis,sjs não pensou duas vezes e disponibilizou a mim, mesmo estando em apenas dois irmãos no momento, claro que para atender a tal exigência, precisamos deixar de celebrar missa em uma de nossas comunidades, mas comparando a importância da solenidade desta ilha, o fato de algumas vezes ter missas e uma de nossas comunidades ficar dessa vez sem, precisamos dar prioridade onde é mais carente, portanto optamos assistir nossa comunidade com celebração da Palavra e irmos Presidir a Santa Missa na ilha. Cito este exemplo, para demonstrar o quanto a necessidade é real.

Dia 16/01/2013 – completamos um ano de missão e então pouco tempo avançamos consideravelmente em todas as pastorais e comunidades, claro que ainda temos muito a avançar, e muito em expressar o nosso Carisma Louvor de Deus em terras paraenses, aos pouco estão nos conhecendo e muitos convites de todos os lados tem chegado até nós, seja para pregar retiros, celebrar missas, atender o povo, a ajudar as novas comunidades que aqui residem, etc. Hoje vivemos uma linda Aliança com a Comunidade “Nova Aliança”, na qual iremos celebrar todas as quintas-feiras e principalmente nas quais acontecem o cerco de Jericó, por outro lado esta comunidade nos apoiará nas missas por cura e libertação que celebraremos as quartas-feiras, uma vez por mês em nossa paróquia.

Ano passado mesmo, implantamos o grupo de oração na Matriz, e no mesmo ano, já florescram vocações, este ano temos uma previsão de mandar uns quatro para São Paulo, enquanto que outros 13 estarão em acompanhamento.

Olhando pra toda a minha vida, nunca pensei que, quando fosse à missão continuaria acompanhando vocacionados como no seminário, este fim de semana passado (25.01 – 01.02.2013) acolhemos em nossa casa apostólica N. Senhora de Nazaré, o nosso primeiro vocacionado de outro município paraense (Igarapé-açú – PA), o qual aqui preencheu sua ficha, fez sua auto biografia e participou de algumas palestras próprias da vocação salvista, tenho visto que nosso carisma é urgente e Deus está com pressa conosco aqui. Ele só quer corações desprendidos para fazer a Sua vontade. Estou particularmente muito realizado, embora não esteja ainda fazendo o que gostaria, mas gosto de fazer o que Deus quer que eu faça!

A partir de minha experiência posso afirmar que entendo a frase de São João da Cruz, que nosso Pai fundador tanto nos dizia: “Aonde fores plantado, dê floresça”!!! Nós podemos ser felizes e mais felizes mesmo, quando não desejamos nada. “Nada querer tudo ter!”.
Deixo aqui meu testemunho e meu recado, vale apena “ir para onde Deus quer que eu vá!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.