O cálice da Benção

O cálice da Benção

“O Cálice da benção, que benzemos não é a comunhão do sangue de Cristo?E o pão que partimos, não é a comunhão do corpo de Cristo, uma vez que há um único pão, nós embora sendo muito formamos um só corpo, por que todos nós comungamos do Pão” I Cor 10; 16-17

Hoje nos tornamos um cálice da benção em Cristo, ele quis ficar conosco e já nos preparou antes de sua partida, e como homem visível quis ficar invisível aos nossos olhos mortais como carne e sangue no pão eucarístico, mais eu pergunto a vocês: Vocês não o vêem? Eu o vejo! FÉ. Ele nos transformou em cálice da benção, nossa vida não passa de um cálice e este cálice deve ser bebido por todos, por isso a necessidade do vazio alguns reclamam que sente um vazio ou que não sentem nada lembramos que o vazio faz parte do mistério eucarístico, CRISTO ESVAZIOU-SE ATÉ A MORTE.

Esvaziar-se quer dizer renuncias e mais renuncias, o desapego o abandonar-se o lançar-se com profundidade para desvendar este mistério, quando ouvimos as palavras de o cálice transborda pode crê que ele esta vazio na sua humanidade transbordando na sua divindade.

Se queremos ser o cálice da benção então devemos querer também faxinar nosso território preparar-nos nesta noite tão fria sem que nossos amigos ou parente nos rodeiem se ainda andas preocupados com a nossa vida, dificilmente o cálice se transformará, minha vida não é minha, agora somos n’Ele memória para os que virão a nossa história deve ser escrita na vida do próximo, antes de correspondermos ao nosso chamado ela já foi escrito no seio de nossa família, amigos, sociedade, enfim onde que quer você

andou, mas agora que se tornou servo o discípulo amado deve ser memória na Eucaristia e no outro.

Todas as bagagens se tornam benção neste cálice e este cálice que e você se torna benção na igreja e no mundo, mas agora vive em um horizonte fecundo de células vivas distribuídas no corpo místico de nossa igreja.

Tomai e bebei isto é o meu corpo Tomais e comei isto é o meu sangue para quem Cristo fala hoje estas palavras? Com certeza pra nosso próximo Ele diz: Tomai este servo que é teu corpo, tomai este servo que é o meu sangue fazei isto em memória de mim.

Não podemos chorar por mais quer o beijo da traição se aproxime , partiu do beijo, do lava pés, do óleo santo nossa memória, nossa vida em Cristo.

Não podemos entender a morte de Cristo é por demais para nós mas podemos viver a morte de Cristo em nós, já não sou eu que vido é Cristo que vive em mim.

Jesus se doou depois de ser traído e nós? Quando é que teremos a coragem de nos doar?

Para Meditar I Cor 11; 23-27

Irmã Inez
Fundadora da Comunidade Milagre Eucarístico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.